domingo, 24 de maio de 2009

Meu filme

Se eu pudesse faria parte de uma ficção,
e ao invés da donzela encarnaria o vilão.
E pelas cenas se passando,
Sob o mar ou no universo
iria meu crime se revelando,
um crime frio e perverso.
E ao final quando o mocinho inteligente
armasse minha captura
eu riria desesperadamente
e me entregaria a desventura.
Melhor assim a vida inteira:
castigo pela crueldade
à sofrer a espera de quem se alheia
e viver sonhando a eternidade.

2 comentários:

Lucas Grosso disse...

Eu gosto do seus senso de humor. Gosto do humor femininoi mordaz, e apesar do seu não ser, eu gosto dele e de quando você tenta ser ácida.

Laura, que é um donzela de tempos áureos, em um mundo onde os dragões são convidaos aos jantares, e os cavaleiros são apontados como assassinos...

Seu punhal tem uma lâmina mais cega que o de Ana Cristina Cesar, mas é mais longo que o de Cecília Meireles. Acho que aquela que chega mais perto de você é Florbela Espanca.

Mari disse...

Laura querida,

Sua poesia é linda!!! Você é a própria poesia...