segunda-feira, 23 de junho de 2008

O Grande Salto

O coração pulou da estante,
vivia ali, quieto e seguro
mas pulou,

foi uma euforia,
dos olhos, da mente
das mãos a correr para salvá-lo!

pulou o danado,
sem saber do chão,
jogou-se na incerteza,

pensou que podia voar
e pulou por querer,
e sem tempo

de milagre acontecer
espatifou-se ali
três segundos depois

quando do pulo deixou
a estante para trás,
caiu,

quebrou,
chorou cada e toda dor...
mas pulou!

4 comentários:

Whisky bemol disse...

Lindo lindo! Tem um pouco de humor, tristeza e poesia na medida certa Laura!

Você é a grande chef da cozinha do universo! Assa corações com seus olhos como ameixas, frita insensibilidades com seus comentareos oleosos e cozinha sentimentos diets numa caçarola chamada "palavra" para depois servir tudo numa bandeja de prata que é a poesia!

Nem pense em usar isso que eu já usei antes! ;)

Wagner Miranda disse...

sim, ele tentou.
poderia ficar onde estava, apenas a observar. mas ele queria mais do que isso, ele queria respirar, amar.
saltou, se esborrachou, aparentemente morreu.
mas assim como a vida, esse tipo de morte não é para sempre...
vai durar apenas até o momento que alguém o encontrar, se encantar e, com a paciência de quem o esperava por toda uma vida, o remenda e é capaz de amá-lo do jeito que é.
acho que é isso que nos mantêm vivos. talvez a esperança seja mais forte do que o próprio amor.

...e tem algo de novo no porto. :-)

um beijo + toda a minha admiração.

w.

Mari disse...

Lindo, lindo!!Você é D+!!

Pâmela disse...

realmente é muito bom ler este blog pois todos os "textos" são encantadores.
Voce tem um grande talento com a escrita, continue escrevend.