quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Folhas de Agosto.

Encontrei uma paz no vazio. Não houveram noites mal dormidas, não houveram profundas feridas.
As folhas de Agosto cairam brancas, brandas sobre a minha existência.
Não senti arrepios, não vibrei, mas respirei com mais calma, com mais tempo de ar.
Foi leve, meio triste, meio solidão. Como um dia de nuvens, de brisa mansa, de livro na mão.

Um comentário:

Lucas Grosso disse...

Você já escreveu melhor, hã?

Agosto, mês do desgosto.
Folhas na Relva.
Autunm Leaves.

Eu sei que você pensou nisso tudo na hora de escrever, mas, dear, este não é um dos seus melhores...