sexta-feira, 11 de julho de 2008

Engolindo a própria sombra.

Êta distúrbio esquisito,
o moço só olha pro chão.
Tem um discurso bonito,
mas é possuído pelo capeta!
Que treta!
Ele olha para própria sombra
e diz censurando-a,
'não foges não'.
Depois se aquieta com ela,
vira-se e
parece estar na passarela,
perde o passo e a trela,
é um completo bobão!
Fala com a sombra
chama de amada,
É doença antiga!
Aquela que dá na barriga,
de gente tapada!
Êta moço atrapalhado,
ama tanto sua sombra
briga e brinca na luz,
fica tão obcecado
que não pode olhar para o lado,
perde tudo o que reluz!

5 comentários:

Whisky bemol disse...

Seus poemas estão ficando mais cínicos, divertidos, um pouco agressivos! Suas férias etsão fazendo bem pra Vinha, Lau! hehe

Meu endereço você sabe meu bem! hehe

Mari disse...

Bárbaro!!

S. B. disse...

gosto do humor romântico
;)
saudades de você gata...
recebeu minha mensagem esses dias?

Beijoss
=***

Cristian disse...

Gostei do texto , e consegui identificar nele alguns politicos ,
esses politicos fasem belos discursos quando querem seu voto , e depois quando é eleito , nao liga para os problemas da siciedade
esses caras so conseguem olhar para a frente e nao olham para os problemas q estao a sua volta

meu nome é CRISTIAN tenho 15 anos e sou aluno do professor Fabiano no SENAC eu gostaria q vc respondesse uma pergunta
gostaria de saber como vc escolhe os textos q coloca no seu blog e de q tipo de fonte vc costuma tirar seus textos ???

obrigada pela atençao!!!!

Anônimo disse...

que legal os seus poemas, vc é muito criativa, é muito legal como vc brinca com as palavras, as frases...

Parabéns!!
Eu sou a Jéssica França dos Anjos do Senac Francisco Matarazzo.