segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Tac que não te tic.

Sinto falta já do tempo que não vou ter,
pra abraçar meus amigos,
pra visitar meus parentes,
pra trocar idéias com meus pensamentos.
O mundo corre rápido demais pro meu cronômetro...
E eu deliro minutos em horas,
vão como grãos os segundos pelas minhas mãos...
queria fotografar a felicidade que sinto, para nunca esquecê-la.
O que vem me assuta, mas se não vem, o que é que tem?
O vazio do esperar, o risco do seguir em frente.
Aprendi a não ter pressa de chegar, e que chegar é o presente,
mas a quem se apoiar? Não ao tempo que corre pra sempre...

Um comentário:

Lucas Grosso disse...

Laura! Tempo você tem! :D

Quem perdi fui eu que não sabia o que fazer e ai não podia ligar pra você pra saber que fazer...

Volta logo minha crinça, por que tem mil e uma mulheres pra me amar, e se você não me ajudar temo que elas virem só uma que vai se tornar uma ingrata...