quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Um pedacinho de fé.

Quando os ventos sopram ruídos roucos, trazendo para o céu o lençol preto de lágrimas, meus dedos encontram-se em oração. Rezo pelos menos protegidos, peço por quem não consegue pedir, agradeço as flores de todos os dias.
Sinto que os anjos vêem até mim, dançam silenciosamente, girando, levantando seus braços, de olhos fechados, sinto que despejam sobre mim grãos de sol.
Eu posso escutá-los, escutar suas asas...Escutar a chuva que cai e lava minha alma...
Sussuram-me, as fadas, ''não há fronteiras para um sonhador'', por isso ensinei meus cavalos quando cansados a virarem arco-íris... pontes de luz, para eu nunca parar de acreditar.
E eu sei que o sol está ausente há um tempo, mas eu não o esqueço. E enquanto eu souber que há algo melhor que essa escuridão, eu vou lutar em sua homenagem, com honra de ter fé no bem, no que é luz.
A natureza me chama, os rios correm, as árvores se cumprimentam, os animais se reverenciam, e eu entrego meu coração à paz e a esperança. Vivo a harmonia.
E se sempre for um sonho, morrerei com a minha liberdade de imaginar. E o meu mundo terá sido só de anjos bailarinos, fadas conselheiras e flores belas.
Vou rezar, por todos. Para que se toque mais músicas, para que se sorria mais, para que as energias vibrem, para que as luzes surjam novamente!

2 comentários:

=) disse...

sempre é bom ter fé.........

mari disse...

Nunca deixe de acreditar na vida, nas pessoas, na alegria...Que sua fé sempre aumente!
Beijinhos Marí