domingo, 3 de agosto de 2008

Se de leve incita o vento as brumas a voar...

As vezes quando a madrugada poe-me a cambiar e sentir que de mansinho minha vertical se inclina no universo dos sem corpo, tenho uma vontade excêntrica de escrever. Tão excêntrica quanto o meu ''deseixo''.
São meus dedos que brincam de sedição.
Minha ausência de equilibrio é quase como um sono em perpétua vigília. Traz-me sonhos reais e realidades supostas.
Hoje, querendo desanuviar minhas faculdades, vi-me atada. Que posso eu fazer por essa esféra armilar? A que sou útil?
Em meio aos meus dedos, ao meu sono, não obtive resposta sincera de mim. Senti, com frio, que as letras, e só elas, fazem-me companhia. Fazem de mim o que eu posso vir a ser. E temo por mim e por elas. Porque com elas faço suas forcas e minhas escadas, e o oposto.
Não sei de nada. Absolutamente. Mas tenho um bom coração.
E se o herói tem a palavra, assim ele sentenciará! Tenha um bom coração!
Talvez bons corações sejam apenas espadas sem fio, que não vencem guerras, que não mudam o mundo...
As vezes isso acontece, fico a celebrar meus pensamentos com champagne de reflexões e canapés de paradoxos humanos.
Quase nada digo, mas enfado o silêncio, e para mim isto supre.
Enfim, se o vento levar minhas brumas, que leve também minhas cores, porque para voar é preciso ir-se inteira.

Um comentário:

Whisky bemol disse...

Laura!

Babi me converteu em um crítico literário sério agora, então... Cuidado... Rs...

Na verdade eu nunca li nenhum conto ou poesia ou crônica sua neste blog que pudessem ser melhor do que como estavam. Um crítico americano falou que "O velho e o Mar" de Ernest Hemingway, é perfeito do modo como ele está, e é o que penso de seu simpático blog!

Seus textos são de um romântismo doce, que as vezes não me agrada um pouco, mas isso é por que em algum momento de minha vida me contaminei por um vírus chamdo Bukowsky hehe...

Mas este é um metalinguístico... Uma crônica falando sobre a escrita e de um modo um tanto quanto sensual! Eu gostei de como você interage! Não sei se é melhor do que eu (Hárpias que as vezes te atacam, as vezes te aquecem). É, com certeza, mais espiritual!

Para ler a Vinha eu preciso estar deslocado de todo o resto do mundo. Aqui não são apenas letras, fonemas e palavras! :)

Você retribui toda a dedicação quando me abraça, me sorri e me alenta! Ler meu blog é apenas um extra. Hehe...

Um beijo!